sexta-feira, 10 de julho de 2009

Deixa o tempo dizer...

Eu e minhas amigas temos um trato. Estaremos juntas e assistiremos ao vivo a cerimônia oficial de abertura das olimpíadas em 2012.
Fizemos este trato quando éramos muito novas, apenas garotas desocupadas e com muitos sonhos. Ocorre que 2012 já está chegando né?
A idéia era prever como estaríamos daqui a “tantos” anos. E eu adoro isso.
É por isso que amei a nova propaganda do Ford Fusion. Para quem não viu ainda eu vou explicar:
Uma moça e um rapaz, aparentemente colegas de trabalho estão almoçando quando surge a costumeira pergunta do mundo corporativo: “Onde você se vê daqui a 5 anos?”. Na imaginação dele ele está dirigindo um Ford Fusion e quando olha para o lado está acompanhado da moça. Ele replica “E você?” Na imaginação dela ela está no banco de trás de um Ford Fusion com uma aparência imponente e quando a câmera focaliza no motorista é o tal rapaz. Termina com o narrador: “Novo Ford Fusion, quem tem fez por merecer.”
Porque que eu não fiz publicidade hein? Ficar o dia inteiro pensando e criando coisas bacanas, já pensou? Me disseram que as duas premissas da publicidade são divertir ou emocionar, mas vamos guardar este assunto porque acho que ainda quero falar muito sobre isso.
Voltando a idéia de como você se vê daqui a um tempo estou lendo um livro muito legal. Ele se chama “Lembra de mim?”. A personagem principal é uma jovem que começa a narrativa com 25 anos, mora sozinha em Londres num pequeno apartamento, com um emprego mediano e tem umas boas amigas. Muita coisa acontece na vida dela (mas a gente não fica sabendo) e três anos se passam, ela está portanto com 28 anos onde sofre um acidente e perde a memória recente voltando a estar com 25 anos. Só que a vida dela está completamente diferente. Por exemplo, ela não reconhece o próprio marido, nem nada que tenha acontecido neste intervalo de tempo. Ela vai tentando reconstruir sua história e os fatos a partir de fragmentos lançados por pessoas a sua volta. Aí que a aventura começa.
Confesso que bateu uma certa crise de existencialismo. Para ajudar entrei no MSN e no nick da minha amiga tinha uma frase tipo “menos inércia e mais ação”. Penso em toda a energia que eu tenho para realizar tantas coisas, mas quase sempre acabo não realizando nada.
No Réveillon passado enquanto todas as outras pessoas estavam escolhendo blusas com os dizeres: Prosperidade, Paz, Amor eu não tive dúvida e escolhi a minha: ATITUDE.
Não importa o que a gente fale, nós precisamos mesmo é de ATITUDE.
A humanidade, a nação brasileira e cada pessoa em sua individualidade.
Porque precisamos da meia-noite do dia 31 de dezembro para rever nossas metas e repensar nossas ações?
Como eu me vejo daqui a 5 anos? Provavelmente vou me lembrar de quando escrevia este texto e num suspiro vou resmungar “Parece que foi ontem”.

2 comentários:

  1. caracaaaa.. concordoo, temos que rever nossas atitudes ou inércias hj, sempre...
    eu escreevi meu post hj justamente sobre crise existencial.. pow, quem de nós nunca passou por isso? e por fim eu espero de coração que dê certo assistirem juntas a abertura das olimpiadas...

    ResponderExcluir